Henrique Avancini consegue liberação para competir na Itália em meio a restrições a brasileiros

Ciclista líder do ranking mundial de mountain bike obteve autorização para entrar na Europa, que tem vetado atletas devido ao agravamento da pandemia de Covid-19 no Brasil

Henrique Avancini consegue liberação para competir na Itália em meio a restrições a brasileiros

Líder do ranking mundial de mountain bike na prova do cross-country olímpico (XCO), Henrique Avancini, da Cannondale Factory Racing, conseguiu nesta sexta-feira a liberação para ir à Itália, onde disputará a partir de segunda-feira o Internazionali d'Italia, na Ilha de Elba. 

O ciclista vinha enfrentando dificuldades de obter a autorização de entrada no país devido às restrições que a Europa impõe ao Brasil, onde a pandemia de Covid-19 se agrava a cada semana. Ele desembarcará em solo italiano no domingo para competir no dia seguinte.

- Tem sido uma missão e tanto conseguir chegar à Europa, tentar viajar. Eu não consegui realizar três competições que eu já tinha planejado desde o começo do ano. A gente foi cancelando provas e replanejando, sempre tentando pensar no que faria sentido logisticamente, de uma forma que eu pudesse competir com um mínimo de condições de desempenhar bem. Então, não é só o ponto de chegar à competição, mas o ponto de chegar e competir bem. E agora chegou em uma situação que precisamos traçar uma estratégia para tentar competir nas etapas da Copa do Mundo, em maio, e a organização da Internazionali d'Italia. A Itália foi o país que, talvez, foi o que mais se esforçou para flexibilizar e permitir minha entrada para que eu pudesse competir - afirmou Avancini.

O ciclista está motivado com a oportunidade de enfrentar grandes rivais do MTB no evento italiano. Classificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio, previstos para julho, ele espera recuperar o ritmo perdido e se testar para os próximos desafios. No mês passado, ele não pôde disputar o Campeonato Pan-Americano, em Porto Rico, devido às barreiras aos brasileiros.

- É um evento sem público e com start list de bastante alto nível. Acredito que vai ser um grande desafio. Eu chego na Europa no domingo para competir na segunda, então óbvio que a preparação para essa prova vai ser longe do ideal, mas eu já fico muito feliz de estar na Europa e aos poucos construir minha forma, competir com os melhores e me preparar para as Copas do Mundo e posteriormente para os Jogos Olímpicos - disse o ciclista.