Treinar no rolo é uma boa em qualquer época .

Treinar no rolo é uma boa em qualquer época .

Em tempos de pandemia, a discussão sobre a utilização de rolos de treinamento ganhou espaço entre os ciclistas. O equipamento é usado há muitos e muitos anos por treinadores e atletas amadores e profissionais no mundo inteiro, mas o debate reacendeu a dúvida: afinal de contas, praticar em um rolo de treino é recomendado de fato?

Para Aline Simões, bi-campeã paulista de mountain bike, este tipo de treinamento já é uma realidade há muitos anos. E, para ela, traz algumas vantagens em relação aos treinos ao ar livre.

“Treino no rolo uma vez por semana, quando vou treinar na zona mais baixa de frequência cardíaca, a zona 1. No rolo, não existem adversidades como subidas, terreno irregular e nem trânsito, então eu consigo manter a frequência ideal para o que eu preciso”, explica Aline.

A opinião é compartilhada por especialistas no assunto. Cadu Polazzo, técnico da seleção brasileira de mountain bike, recomenda que atletas profissionais e amadores realizem algumas sessões especificamente no rolo de treino. E pelo mesmo motivo explicado por Aline: a precisão de praticar na zona e na frequência indicadas pelo treinador.

“Para determinados tipos de treinamento, treinar no rolo é muito mais preciso do que ao ar livre. Alguns estudos já mostraram que é mais fácil manter a cadência controlada quando o atleta está no rolo”, comenta Cadu.

Ao mesmo tempo em que traz vantagens, pedalar no rolo também pode trazer desafios para ciclistas amadores e profissionais. Aline traz algumas dicas para lidar melhor com o fato de estar dentro de casa.

“Curto muito fazer treinos no rolo e acabei criando uma dinâmica própria para isso. Às vezes eu coloco vídeos no YouTube para assistir enquanto treino, às vezes assisto a corridas de bike. E o melhor é que tenho todo conforto, segurança e até entretenimento para realizar os treinos da zona 1”, conta Aline.

Cadu concorda e lembra mais um aspecto importante para ciclistas: além do preparo físico, é fundamental estar com o psicológico preparado.

“A parte mental é fundamental para qualquer atleta. Esta é uma adaptação psicológica que a pessoa precisa ter, de que é uma questão de se acostumar a pedalar parado no mesmo lugar. Outro ponto é que é natural que, quem está começando a este tipo de treino, perceba uma menor potência no pedal. Mas com o tempo o corpo se adapta e começa a produzir valores de potência próximos aos atingidos ao ar livre”, finaliza o treinador da seleção brasileira.

Que tipo de rolo escolher

A Absolute Bikes, marca brasileira de produtos para bicicleta, tem dois modelos diferentes de rolos de treino – ambos desenvolvidos com exclusividade para o público brasileiro. Conheça abaixo as características dos dois.

Rolo de treino Absolute Wild Dinâmico: opção para quem está à procura do seu primeiro rolo de treino: leve, pequeno, fácil de usar e com uma excelente relação custo-benefício. O Wild Dinâmico pesa menos de 9kg e é ideal para quem está à procura de um equipamento eficiente e que possa ser transportado com facilidade.

Por ser compacto e com uma montagem extremamente simples, este modelo é ótimo para quem quer um rolo para se aquecer antes de competições.

O Wild Dinâmico possui apoio para os pés, o que facilita na hora de subir ou descer da bicicleta com segurança, mesmo para quem ainda não está acostumado. Os roller, produzidos em material que otimiza a durabilidade dos pneus, são côncavos, o que torna muito mais fácil a utilização, já que o formato direciona o ciclista sempre para o meio do rolo, facilitando o equilíbrio. O valor sugerido de venda é R$1.299,00.

Rolo de treino Absolute Wild 5 Magnético: uma opção extremamente prática para ciclistas de todos os estilos. Ele é leve (cerca de 9kg) e conta com um sistema de rolamento reforçado e redutores de ruído, que garantem tração segura e eficiente e rolagem silenciosa. Tem um controle de resistência com 5 velocidades, que pode ser fixado no guidão da bike para você mesmo selecionar a mais ideal para o seu treino.

Tem estrutura de aço reforçado, pés com acabamento emborrachado para não derrapar, roller em material de alta durabilidade com rolamentos selados e é compacto e dobrável, o que facilita a armazenagem. Compatível apenas com cubos de 135mm que utilizam blocagem tradicional. Ele tem valor sugerido de venda a R$ 899,00.

Os dois modelos são compatíveis com mountain bikes aro 26”, 27,5” e 29”, equipadas com pneus de até 2.3”, e também bicicletas de estrada 650b E 700c